Graças ao HTML5, um site pode encher seu disco rígido inteiro com fotos de gatos

Parque na Itália busca empreendedores para criar empresa em Milão
1 de Março de 2013
Itautec fornecerá 500 servidores para projetos de virtualização na Universidade de São Paulo
4 de Março de 2013

Graças ao HTML5, um site pode encher seu disco rígido inteiro com fotos de gatos

Às vezes, sites precisam deixar alguns dados no seu computador, como um pequeno cookie de 5 a 10 KB. No entanto, o HTML5 é mais faminto e às vezes quer um pouco mais – cerca de 5 MB, por exemplo. Ele deveria parar aí, mas graças a uma falha na implementação do HTML5, este site pode encher todo o seu disco rígido com lixo. Especificamente gatos. Montes e montes de gatos.

Para evitar que sites consumam muito espaço em disco, a maioria dos navegadores coloca um limite rígido de espaço que cada site pode usar. No Google Chrome, são 2,5 MB; Firefox e Opera dão 5 MB; e o Internet Explorer opta por 10 MB.

E os padrões HTML5 ditam que este limite deve valer dentro de um mesmo domínio. Então a1.exemplo.com deveria compartilhar o espaço com a2.examplo.com. No entanto, como descoberto por Feross Aboukhadijeh, a maioria dos navegadores não faz isso.

No Chrome, Safari e Internet Explorer, cada subdomínio recebe um espaço no disco. Por isso, enquanto um site continuar produzindo novos subdomínios, o navegador vai usar mais e mais do seu disco rígido até abarrotá-lo – ou até travar. (A implementação do HTML5 no Firefox impede este problema.)

O Filldisk.com, criado por Feross, faz exatamente isso. Com fotos de gatos. Felizmente, o site é misericordioso o bastante para lhe devolver todo o seu espaço de volta, se você pedir para ele parar. Mas é fácil ver como isso pode ser um problema caso um site não se comporte direito.

Feross alertou as equipes do Chrome, Safari e Opera sobre o bug, então o problema deve ser resolvido em breve. Feross teve problema em avisar o pessoal da Microsoft – a página de contato não funcionava direito – mas o bug também foi registrado para o IE.

Bem, até que venha a correção, você ainda pode bombardear seus amigos com um spam (relativamente amigável) de disco rígido, e agradecer que ninguém maligno descobriu esse pequeno problema antes. [Feross Aboukhadijeh via Slashdot]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *